Menu

Como Educar(se)

junho 21, 2017 - Artigos
Como Educar(se)

Olá a todos!

Depois de um tempo sem escrever, e meio sem ter ideias inovadoras, propriamente minhas, resolvi voltar e falar um pouco sobre seres de outro mundo!

Ah ha!!

Einh?!!! Seres de outro mundo? Como assim, Alana? Agora seu blog trata de ETs? 

Calma gente, muita calma. Não, meu blog n fala nem trata de assuntos pertinentes aos Ufólogos. Essa parte deixo com quem entende e gosta de discorrer sobre o assunto.

Porém, os seres de outro mundo que estou falando, são os nossos filhos!!

Estes seresinhos, que chegam em nossas vidas cheios de energias, com carga total e bateria que muitas vezes parece ser interminável e movida a ar. Nossa, temos que aprender a nos reinventar para poder seguir o ritmo deles.

E com eles em nossas vidas compreendemos que é necessário estarmos saudáveis para darmos conta de tanta correria, sobe e desce, agacha e levanta, pula pula…uff, só de lembrar e pensar nisso, já suei.

Mas criança é tudo de bom. Mesmo!

Com elas aprendemos todos os dias. Acabamos aprendendo mais do que ensinamos! Aprendemos a sorrir mais, porque eles não gostam de caras feias, aprendemos a dar gargalhadas por coisas simples como cair de bumbum no chão, aprendemos que o sinônimo de SE EMOCIONAR passa a ser  CHORAR DE FELICIDADE, porque cada conquista dos nossos pequenos é um passo adiante para a  sua evolução. Com eles aprendemos que, devemos sim, ter horários para tudo que fazemos, como café da manhã, almoço, jantar…e os inúmeros lanches que fazemos ao longo da nossa jornada diária. Isso porque aprendemos que o correto é comer pouco varias vezes ao dia, ao invés de traçarmos um big prato, ou como diz meu pai: Um prato de peão!

Aprendemos com nossos filhos que tudo acontece na hora certa. E ensinamos isso a eles repetindo: Primeiro você engatinha, depois fica de pé para andar, depois corre! Bom, isso quando eles não pulam a etapa do ficar de pé para depois correr, e já saem correndo pela casa.

Nós mães, quando saímos da primeira visita ao pediatra ouvimos dos médicos que temos que saber a importância do sono e como ele ajuda no desenvolvimento intelectual da criança. E que nós devemos aproveitar a horinha da soneca deles para sonecarmos também!! Afinal as nossas baterias já não estão a 100% mais.

E por aí caminhei até hoje, aos 10 anos de minha filha Luiza. Muitas emoções. Mas um mar de conhecimentos que Deus continua me proporcionando.

Gente, filhos não têm manual de usuário, nem tampouco bula. Temos que aprender dia após dia como lidar com eles e suas descobertas. Mas o que posso dizer é que eles aprendem mais com nossas atitudes do que com nossos sermões intermináveis. Eles têm uma “chavinha de dane-se” que é acionada após os 3 minutos de bronca. E NÂO adianta falar após esses 3 minutos que eles não a menor atenção. Vão por mim…não funciona.

Não adianta pedir que eles façam silêncio, gritando, nem que não conversem na hora das refeições, sendo que estamos de papo a mesa. Pedir que tomem um banho de 5 minutos, enquanto o nosso banho dura 30 minutos. Aconselhar que rezem antes de dormir, se nós mesmos desmaiamos antes mesmo de escovarmos os nossos dentes.

Pois eh! Olha quanta coisa chamamos a atenção deles e nós mesmos não fazemos ou fazemos de forma errada!

Tudo o que podemos ensinar aos nossos filhos partirá dos nossos exemplos diários. E estejam certos de que eles prestam atenção a tudo. Lembrem-se que eles são crianças, e que as baterias estão novinhas.

Mas, nunca se esqueçam de fazerem a diferença na vida de seus filhos. Não será do brinquedo caro que ele se lembrará, nem da viagem para a Disney que você pagou para ele ir com os amigos, tampouco da gorda mesada ou do I Phone que ele tanto insistiu em ter. Seu ou seus filhos, se lembrarão de seu sorriso quando ele conquistou a primeira medalha no kumon, ou no Judô, se lembrará de suas lágrimas de satisfação e alegria, quando junto com ele receberam o resultado do vestibular, ou de como você foi enérgico quando soube que ele fez algo muito errado. Sim, crianças sentem necessidade de limites para crescerem seguras. Seu ou seus filhos, se lembrarão do cheirinho de chocolate quente que você levantava cedinho para preparar, do seu feijão, da macarronada que comiam aos domingos com toda a família reunida, dos passeios de bicicleta, das tantas pipas empinadas, das roupinhas de bonecas que aprendeu a costurar com você, de como vocês viam juntos o pôr do sol, ah…e dos banhos de chuva! Ah, os banhos de chuva!!! E principalmente da sua presença, e paciência, que juro que as vezes eu a perco, mas nunca abro mão,ao ajudar nos deveres da escola.

Olha como é simples. Mas observem como criamos inúmeros empecilhos para cada uma destas tarefas, e muitas vezes nem percebemos devido ao nosso corre corre interminável e a nossa mania de perfeição.

Então amigos, vamos simplificar e amar. Simples assim.

Espero que tenham gostado. Bj bj bj